EEEM ARNULPHO MATTOS 

CURSO TÉCNICO EM ELETROTÉCNICA

ELETRÔNICA DE POTÊNCIA- EP

 

PLANO DE ENSINO
NOTAS DE AULA CONTEÚDO

1º TRIMESTRE

Módulo 1: Retificadores não-controlados (diodos)comportamentos não-ideais dos retificadores mono e trifásico. Análise do fator de potência e da distorção harmônica da corrente.

Módulo 2: Circuitos com tiristores: controle de fase e acionamento de motor cc com controle de velocidade. 

Módulo 3: Circuitos com TRIAC: controle por ciclos inteiros para alimentação de carga resistiva em controle de temperatura.

2º TRIMESTRE

Módulo 4: Caracterização de dispositivos semicondutores rápidos de potência: diodos, transistor bipolar, MOSFET e IGBT.

Módulo 5: Circuitos com transistores MOSFET: aplicação em fonte chaveada operando com Modulação por Largura de Pulso, com controle da tensão de saída.

3º TRIMESTRE

Módulo 6:Circuitos com IGBTs: geração de sinais MLP para comando de inversor monofásico para obtenção de tensão alternada senoidal.

Módulo 7:Circuitos com IGBTs: inversor alimentando carga indutiva com controle de fluxo. Acionamento de  motor trifásico com ajuste de velocidade e comando por microcontrolador.

Aula_ACIJ6_Eletrônica de Potencia.

Pre- reguladores de Fator de Potencia

Introdução- Eletrônica de Potencia

Breve História da Eletricidade Industrial e da Eletrônica de Potência

1. NORMAS RELATIVAS À CORRENTE DE LINHA HARMÔNICAS DE BAIXA FREQUÊNCIA E INTERFERÊNCIA ELETROMAGNÉTICA CONDUZIDA.

2. CARACTERÍSTICAS GERAIS DOS PRÉ-REGULADORES DE FATOR DE POTÊNCIA

3. CONVERSOR ELEVADOR DE TENSÃO (BOOST) COMO PFP

4. CONVERSOR ABAIXADOR-ELEVADOR DE TENSÃO COMO PRÉ-REGULADOR DE FATOR DE POTÊNCIA

5. CONVERSOR ABAIXADOR DE TENSÃO COMO PFP

6. CONVERSORES EUK, SEPIC E ZETA COMO PFP

7. DETERMINAÇÃO DOS LIMITES PARA OPERAÇÃO NO MODO DESCONTÍNUO de PFP

8. CONVERSORES TRIFÁSICOS COM RETIFICADOR A DIODOS COMO PFP

9. PRÉ-REGULADORES DE FATOR DE POTÊNCIA COM RETIFICADORES CONTROLADOS

10. CIRCUITOS INTEGRADOS DEDICADOS AO ACIONAMENTO E CONTROLE DE FONTES CHAVEADAS COM CORREÇÃO DE FATOR DE POTÊNCIA

11. INTERAÇÃO CONVERSOR-FILTRO DE LINHA EM PRÉ-REGULADORES DE FATOR DE POTÊNCIA

APOIO COMPLEMENTAR

1. Componentes semicondutores de potência

2. Técnicas de modulação de potência

3. Conversores ca-cc – retificadores

4. Conversores cc-cc para acionamento de máquinas de Corrente contínua

5. Topologias básicas de fontes chaveadas

6. Conversores cc-ca como fontes de alimentação com Frequência fixa

7. Conversores para acionamento de máquina de indução Trifásica

8. Inversores de tensão com comutação suave

9. Inversores e retificadores de corrente com Comutação suave

10. Conversores ca-ca: variadores de tensão e cicloconversores

11.dimensionamento de sistemas de dissipação de calor para dispositivos semicondutores de potência

Aula1- Eletrônica de Potência

Aula 3- Eletrônica de Potência

Projeto - Conversores CC-CC elevadores de tensão, não-isolados, com ganhos estáticos elevados

Eletrônica de Potencia\historia.f

Pre-reguladores de Fator de Potencia.

Regime Disciplinac

Simulador1.

EXERCÍCIOS PREPARATÓRIOS

Exercícios para a 1ª Experiência 

Exercícios para a 2ª Experiência

Exercícios para a 3ª Experiência

Exercícios para a 4ª Experiência

Exercícios para a 5ª Experiência

Exercícios para a 6ª Experiência

Exercícios para a 7ª Experiência

Sugestões de temas para Projeto

OBJETIVO DE ELETRÔNICA DE POTÊNCIA

Objetivos gerais: O objetivo é familiarizar o estudante com diferentes topologias de conversores eletrônicos de potência, identificando aplicações industriais típicas. Objetiva-se também desenvolver a capacidade de interpretar circuitos e formas de onda, possibilitando a análise dos conversores. São estudados conversores CA-CC (retificadores); CA-CA (reguladores CA e ciclo conversores); CC-CC (fontes chaveadas e choppers), CC-CA (inversores). Para cada uma destas estruturas são considerados os dispositivos semicondutores de potência mais indicados: diodos, tiristores, MOSFETs, IGBTs. Na parte laboratorial também são estudados sensores, CIs dedicados e estratégias de controle. As experiências são organizadas de modo a solicitar do estudante a análise dos fenômenos observados nos circuitos e nas cargas alimentadas